Whatsapp

Blog

Roubo de carros: como proteger sua frota e lidar com esta situação?

Blog

Roubo de carros: como proteger sua frota e lidar com esta situação?

11 de Novembro de 2021

Aprenda a lidar com o roubo de carros na sua frota, para ter uma gestão mais organizada, prevendo contratempos e garantindo a segurança dos carros e condutores.

O roubo de carros é um dos atos criminosos que mais atingem a realidade brasileira.

Só para se ter uma ideia, segundo o JDV (Jornal do Vale do Itapocu), que apresentou dados da Secretaria Nacional de Segurança Pública, no primeiro semestre de 2020, roubos e furtos de automóveis representaram 73,6% dos atos criminosos no país. 

Essa situação é um problema sério para empresas que lidam com frotas de carros, gerando transtornos que podem acarretar em grandes prejuízos. 

Os principais efeitos de ser alvo de roubos ou furtos, são: 

  • perda total ou parcial do veículo;

  • gastos com manutenção;

  • prejuízo com clientes;

  • prestação de assistência aos profissionais afetados pelo roubo.

Dessa forma, saber lidar com a situação é fundamental e, nesse momento, o papel do gestor de frotas se mostra essencial. Afinal, entre as principais preocupações desse profissional estão: a qualidade dos serviços prestados, o controle dos veículos, os gastos da frota e, claro, a segurança dos carros e condutores durante o trabalho.

Tendo noção do problema e das muitas razões para evitá-lo ao máximo, reunimos neste artigo informações para auxiliar na gestão e prevenção contra o roubo de veículos. Além disso, abordamos o que fazer caso isso aconteça na sua empresa.

Acompanhe:

Roubo de carros no Brasil
O que é gestão de sinistros?
Como proteger sua frota
Como evitar os roubos de carros?
“Meu carro foi roubado, e agora?”

Roubo de carros no Brasil

O Brasil, infelizmente, apresentou nos últimos anos um índice considerável de roubo e furto de carros, mostrando o quão recorrente esse problema é no país. 

De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, entre janeiro e março de 2021, foram contabilizados 5 mil roubos e 13 mil furtos de carros apenas no estado.

Segundo o órgão, esses números ainda são menores do que se registrava antes da pandemia, pois a diminuição de carros nas ruas causou uma redução nas ocorrências. Contudo, com a gradual volta à normalidade, a quantidade de roubos e furtos deve aumentar.

Isso só reforça a necessidade de o gestor de frotas dar atenção à gestão de sinistros e buscar as melhores soluções para proteger os ativos da empresa e reduzir custos, estruturando planos que minimizem a situação, caso aconteça. 

Leia mais: 6 passos para reduzir custos da frota.

Mas, como fazer isso? Continue a leitura para saber mais: 

O que é gestão de sinistros?

“Sinistro” é um termo genérico para designar problemas e contratempos com consequências sérias e negativas para a empresa. O assunto tratado neste artigo (roubo de carros) é um exemplo claro de sinistro.

A gestão de sinistro se refere a um conjunto de práticas implementadas pelo gestor, a fim de prevenir a empresa contra esse tipo de problema, bem como estruturar esquemas para contornar os sinistros, caso eles ocorram.

Então os próximos tópicos deste texto vão tratar disso: estratégias que devem fazer parte de sua gestão de sinistros para reduzir custos e riscos para sua frota.

Leia mais: O seu veículo é seguro?

Como proteger sua frota

Conhecendo os riscos que envolvem o trabalho com frotas de carros, é importante saber também que há formas de proteger os veículos da empresa contra esse tipo de situação. E tudo começa com a própria gestão.

O primeiro passo é fazer um mapeamento de riscos. Isso significa pensar em todos os aspectos que oferecem ameaças à boa execução e segurança do trabalho. Alguns dos pontos que precisam ser levados em consideração são:

  • Qual o tamanho da frota;

  • Quais serviços são atendidos pelos veículos;

  • Quais são os principais horários de trabalho;

  • Quais são os postos de abastecimento que o motorista costuma utilizar ou frequentar;

  • Como é o comportamento típico de cada motorista nas ruas e estradas;

  • Quais são as principais rotas utilizadas durante o serviço.

A partir dessas informações, o gestor de frotas poderá visualizar quais pontos do processo apresentam maior risco à integridade do carro e do condutor.

O próximo passo, então, é agregar ao planejamento de gestão práticas a serem implementadas durante o serviço para promover mais segurança. O nome técnico dessa ação é Programa de Gerenciamento de Riscos, também representado pela sigla PGR.

O programa tem como função principal tratar os riscos enquanto são ameaças para que eles não se concretizem. Outra função é orientar sobre como aliviar o problema, isto é, saber o que fazer quando algo acontecer, agindo da melhor forma possível para reduzir custos, danos e prejuízos.

Outra boa forma de proteger o investimento na frota é o seguro veicular. Existem diversas empresas no mercado que oferecem seguros contra roubos e furtos, por exemplo. 

Mas é preciso pesquisar quais opções estão disponíveis para sua empresa, buscar as melhores vantagens e observar atentamente as condições que a seguradora coloca, a fim de fechar o melhor acordo e garantir que sua equipe possa contar com a empresa de seguros, se for preciso.

Mais uma maneira muito eficiente de proteger a frota é investindo em um sistema de rastreamento de veículos. Assim, a gestão pode acompanhar com detalhes a execução dos serviços e agir rapidamente caso algum problema aconteça. 

Ficará claro, com ajuda do rastreio, se o carro desviar da rota programada ou fizer uma parada longa demais. Diante de qualquer situação que pareça suspeita ou incomum, o gestor consegue localizar o carro da frota e tentar entrar em contato com o condutor para saber o que está acontecendo.

Um sistema de telemetria é outra possibilidade para ajudar a reduzir roubos e furtos. Com as informações disponibilizadas com essa tecnologia, que envolve o Big Data, é possível ter uma gestão muito mais inteligente e embasada em dados.

Leia mais: Telemetria possibilita uma redução de 75% no número de infrações e sinistros.

Como evitar os roubos de carros?

 

Dentro do Programa de Gerenciamento de Riscos devem conter as estratégias que serão utilizadas para prevenir a empresa contra roubos e furtos de veículos.

A primeira medida a ser tomada é manter-se sempre atento e atualizado a como os casos de roubo acontecem na sua região. 

Em algumas cidades, o horário preferido pelos ladrões é durante o dia, e não à noite, por exemplo. Além disso, como é a abordagem? Como eles atuam? O que costumam fazer com o que foi roubado? 

Conhecer todas essas informações é de grande valia para saber como evitar que isso aconteça com sua empresa.

Uma forma prática e efetiva de proteger a frota é planejar as rotas pelas quais os carros passarão durante os serviços. Para isso, é necessário estar ciente de quais regiões da cidade e ruas são mais perigosas e apresentam o maior número de ocorrências similares.

Sabendo disso, faça com que os trajetos planejados evitem essas áreas, especialmente nos horários em que se tem conhecimento que são mais perigosos e oferecem maiores probabilidades de roubos e furtos acontecerem.

E por falar em orientação aos condutores, esta é mais uma medida fundamental para prevenir roubos de carros. O comportamento dos motoristas é crucial para dar mais segurança tanto para a frota quanto para os próprios profissionais. 

Afinal, se o roubo  acontecer enquanto eles estão ao volante, sua integridade física também pode acabar comprometida.

Sendo assim, eduque os condutores para que saibam trabalhar de forma preventiva e como agir nos momentos de tensão. A atitude correta nessas horas pode, inclusive, salvar vidas, além de evitar muitas dores de cabeça para o gestor.

Nesse momento, saber como operam os ladrões fará total diferença para que os motoristas possam reconhecer sinais de perigo e ameaças.

“Meu carro foi roubado, e agora?”

Se sua empresa foi vítima de roubo ou furto de carros, essa é a hora de colocar em prática a parte do Programa de Gerenciamento de Riscos focada em amenizar situações de roubo. 

Lidar com o roubo de um carro, por exemplo, não deve ser uma tarefa demasiadamente complexa se a gestão estabeleceu no PGR protocolos e ações eficientes. Mais ainda se ela conta com o apoio de instituições sérias e ferramentas que entregam bom desempenho.

Se sua empresa conta com um sistema de rastreamento, ele será extremamente útil por vários motivos: primeiramente porque, antes mesmo do condutor entrar em contato, o gestor pode observar pelo sistema que algo está errado e acionar as autoridades. 

Leia mais: Qual a importância da velocidade do atendimento na recuperação de veículos?

Em segundo lugar, o sistema de rastreamento oferece informações muito importantes para as autoridades competentes que vão lidar com a ocorrência.

Obviamente, acionar a polícia é essencial quando um roubo acontece. Especialmente se ele está em curso, as informações de localização do ativo são de grande valia e podem, inclusive, ajudar os agentes da polícia a encontrar os criminosos, com possibilidade até de recuperar o carro.

Vale lembrar que muitas empresas de rastreamento veicular oferecem suporte para seus clientes, o que pode ser de grande ajuda em meio a essa situação.

Se houve perdas ou danos nos veículos, o seguro precisa ser acionado. Por isso é tão importante fechar contrato com uma seguradora de confiança e que ofereça a cobertura que sua empresa precisa.

Por fim, mas não menos importante, a gestão precisa prever a assistência que dará aos condutores. Dependendo da experiência, traumas podem ter sido criados, tanto físicos quanto psicológicos. 

Uma vez que o motorista estava a serviço da empresa durante o ocorrido, é de bom tom (e em muitos casos, obrigação legal) que a companhia ofereça assistência para a plena recuperação do profissional.

Gostou deste artigo? Acesse nosso blog para mais conteúdos exclusivos!