Conteúdo

14/02/2017

A atual revolução da informação provocou mudanças no mercado de trabalho, assim como a revolução industrial fez com os sistemas de produção do século XIX. A nova dinâmica de um mundo mais tecnológico, digital e dinâmico exige novas competências e habilidades e, como consequência, altera a ideia do que é o sucesso profissional. Mais do que ter um emprego, a nova geração quer empreender a própria carreira, dentro de uma empresa ou por meio do próprio negócio. O que isso tem a ver com os gestores de frota? Muita coisa.

De acordo com a Harvard Business School, empreendedorismo é a busca constante por oportunidades independentemente dos recursos disponíveis. Nós sabemos que o dia a dia de atividades de um gestor de frota é desafiador a todo tempo. São muitas responsabilidades e a pressão por resultados exige uma atitude mais estratégica, que está muito relacionada ao empreendedorismo.

Um bom gestor de frota deve ser um bom solucionador de problemas e solucionar problemas é um dos fatores primordiais para um empreendedor. Estudiosos explicam que ter uma atitude empreendedora é ser um agente de transformação inserido no microambiente da organização. Portanto, você deve refletir em como pode ser protagonista da mudança, criando projetos e soluções para uma frota mais sustentável, econômica e que tenha como objetivo primordial a preservação de vidas.

 

Utilize dos recursos disponíveis

A rotina atribulada de um gestor de frota pode muitas vezes atrapalhar a formação de um ambiente que estimule a inovação e a criatividade. Isso não quer dizer que você não pode ser um gestor empreendedor. Pelo contrário, a mudança pode começar por você. De acordo com Mônica Barroso, professora de empreendedorismo da School Of Life e fundadora da Zoé Inova, mesmo trabalhando em um ambiente mais fechado, é possível experimentar, dentro do seu contexto, pequenos ajustes que não vão precisar da aprovação de um novo orçamento ou do envolvimento de uma equipe que não está acessível.

“A minha provocação é não ficar parado por não se sentir apoiado. Se existe uma ideia, tente com aquilo que está disponível no momento”, aconselha.

Ser um gestor empreendedor é pensar fora da caixa, sair da zona de conforto, trazer novas ideias para antigos problemas. Enxergar os desafios com um olhar mais estratégico e criativo. E se engana quem pensa que ser criativo requer necessariamente a criação de tecnologias revolucionárias ou ideias mirabolantes. Chegar a uma solução simples, porém diferente, de resolver um problema ou chegar a um resultado já é ser criativo. E esse é o primeiro passo para dar início a um processo de inovação.

A atitude empreendedora pode ser exercida não só no trabalho, mas em todas as áreas da vida. É natural do ser humano querer evoluir, resolver problemas, encontrar soluções. Pensar e agir como um gestor empreendedor é enxergar oportunidades e focar seus esforços em mudanças que podem fazer a diferença na vida das pessoas.

Quer conferir mais dicas para a sua gestão? Então confira este post sobre como ser tornar um gestor de sucesso.

 

E aí, quais atitudes empreendedoras você tem aplicado em sua gestão? Conta para a gente nos comentários!

Deixe seu comentário