Conteúdo

09/04/2018

Um dos grandes problemas dos centros urbanos no mundo moderno é o congestionamento de veículos, que afeta diretamente a produtividade, a qualidade de vida e a economia de um país. Uma das formas de melhorar esse gargalo é investir em novas maneiras de gerenciar o trânsito. Foi pensando em melhorar a mobilidade nos grandes centros que a Serttel, empresa de tecnologia que oferece soluções inovadoras para mobilidade, comodidade e segurança da população nos ambientes urbanos, desenvolveu um sistema para gerenciar semáforos inteligentes.

Lançado este ano, o novo sistema de Gestão de Redes de Semáforos é chamado de TrafGo e utiliza inteligência artificial para otimizar ciclos, defasagens e frações de verdes dos semáforos, reduzindo o tempo de deslocamento dos veículos. Para tanto, o sistema desenvolvido foi criado de forma integrada com a maior plataforma de rastreamento de veículos, o Google Maps.

 

Como funciona na prática

“O sistema utiliza informações de trânsito coletadas da nuvem do Google Maps. Os veículos enviam informações do GPS dos smartphones para a nuvem e Google nos fornece os dados de fluxo em tempo real. O TrafGO analisa os indicadores utilizando algoritmos inteligentes e ajusta os tempos dos semáforos melhorando o fluxo de veículos nas vias”, explica Leonardo Nunes, diretor de gestão de tráfego da Serttel.

Além da otimização semafórica e a consequente redução dos tempos de viagens dos veículos, o TrafGO também insere as redes semafóricas nas plataformas de Big Data e de IoT (internet das Coisas) das Smart Cities. O que potencializa a oferta de serviços de mobilidade inteligente, como por exemplo: criação de rotas especiais para veículos de emergência e organização de grandes eventos, como também a interagir com os aplicativos de navegação (Google Maps e Waze), induzindo de forma inteligente o fluxo nas cidades.

“Na era dos carros conectados e induzidos por aplicativos, a implantação de um controle semafórico inteligente e mais voltado para otimização dos grandes corredores arteriais da cidade é fundamental para melhoria do tráfego de veículos”, destaca Nunes. “Dessa forma é possível reduzir o tempo de deslocamento de uma maneira segura e eficiente, além de criar um ciclo virtuoso com os aplicativos de navegação, que passariam a optar mais por rotas preparadas para atender altos fluxos de veículos”, completa o diretor.

A Serttel propõe ainda a adoção de uma tecnologia de controle semafórico adaptativo baseado em Float Car Data (FCD), que tem sido alvo de estudos de todos os grandes players do mercado de sinalização semafórica. Este tipo de solução elimina os principais problemas para a manutenção do sistema, pois ele não necessita de sensores físicos instalados na via, uma vez que as informações sobre o deslocamento das pessoas são capturadas pelos smartphones delas. Assim, o sistema da Serttel tem baixos custos de implantação e de manutenção, se comparada às soluções antigas do mercado.

Ainda segundo Nunes, a solução está pronta para comercialização e já está implementada como piloto em Recife (PE), São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), João Pessoa (PB) e São José dos Campos (SP). Nas cidades implementadas, já foi possível reduzir em até 40% o tempo de viagem das pessoas que circulam nestes locais.

 

Você já viu algum semáforo inteligente em funcionamento? Conta pra gente nos comentários. 

 

Por: Beatriz Pozzobon, para PARAR Review.

 

Comentários

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *