Conteúdo

03/05/2021

Campanha Maio Amarelo traz o respeito e a responsabilidade como tema e suscita reflexão sobre o comportamento do condutor, visando diminuir número de mortes no trânsito. Cultura de segurança sólida na gestão de frotas contribui para amenizar o cenário.

Pare e reflita: você pratica respeito e responsabilidade no trânsito? Pensar em nossas atitudes é extremamente necessário, especialmente nos dias de hoje em que temos constatado boas doses de desamor nas relações. Tal reflexão é tão relevante que o Observatório Nacional lançou como tema do Movimento Maio Amarelo de 2021 “Respeito e Responsabilidade: pratique no trânsito”. 

Em 2020, chegou ao fim a Década de Ação pela Segurança no Trânsito, proposta em 2009 pela ONU (Organização das Nações Unidas) e OMS (Organização Mundial da Saúde). Os órgãos, na época, chamaram a atenção dos países para o alto número de mortos e feridos no trânsito e lançaram a proposta com o objetivo de reduzir em 50% o número de mortes no trânsito no período de 10 anos. Lamentavelmente, o objetivo não foi alcançado. Com isso, na Conferência Mundial de Segurança Viária, em fevereiro do ano passado na Suécia, a ONU e a OMS propuseram uma 2ª Década de Ação, com o mesmo objetivo anterior. A pergunta que vem à tona é: o que precisamos fazer para que a meta seja alcançada e as alarmantes estatísticas abrandadas?

Implantação de uma cultura de segurança sólida na gestão de frotas

É preciso haver a consciência de que todos nós somos parte do processo e que a atitude individual de cada um vai contribuir, e muito, nesse contexto. Outro aspecto primordial cabe às empresas. Os gestores devem garantir a existência de uma cultura de segurança sólida na gestão de frotas. Um estudo do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação apontou que a principal causa dos acidentes é a imprudência dos motoristas. Em levantamento realizado pelo órgão, constatou-se que 53,7% dos acidentes ocorrem por falha humana, sendo 30,3% por infração das leis de trânsito e 23,4% por falta de atenção do condutor. Sabemos, no entanto, que outras causas podem acarretar em acidentes, como as falhas mecânicas e até mesmo a intolerância dos motoristas.

Seja qual for o motivo, o fato é que se houver consciência, aliada a uma cultura de segurança sólida na gestão de frotas, este cenário pode mudar. É preciso investir na educação do condutor, assegurando que atitudes aparentemente simples sejam – de fato – respeitadas, como o uso de cinto de segurança, controle de velocidade, maior atenção ao dirigir e comportamento responsável e respeitoso no trânsito. 

Como criar hábitos seguros entre os condutores?

Uma cultura de segurança sólida na gestão de frotas, sem dúvidas, impacta positivamente nos hábitos dos condutores. Para que ela seja eficiente, é necessário que haja engajamento da equipe, bons exemplos por parte da liderança e uso de boas tecnologias como aliadas. 

A cultura de segurança, ao reunir um conjunto de ações a serem praticadas, minimiza os riscos de todos os envolvidos e contribui para melhores condições de trabalho. Os funcionários devem estar cientes dos benefícios e da importância dos seus próprios atos. Oferecer capacitações e treinamentos periódicos contribuem na busca do ideal proposto na cultura de segurança da gestão de frotas, despertando a equipe no desempenho responsável de seus papéis, dentro e fora do ambiente corporativo. 

Como está o respeito e a responsabilidade da sua equipe no trânsito? Está havendo uma cultura de segurança sólida na sua gestão? Pense nisso e mude o que for necessário!

Comentários

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home2/ljevm1rr/public_html/golsat.com.br/wp-includes/functions.php on line 4348