Conteúdo

04/04/2018

Visão estratégica e atitude. Se tivesse que definir o trabalho de Evandro Silveira na gestão de frotas em apenas duas palavras, seriam essas. Na PESA (Paraná Equipamentos) há 6 anos, Silveira é um exemplo de profissional, que está sempre buscando mais conhecimento e se atualizando com as boas práticas do setor. Não é a toa que soma resultados positivos na redução de infrações e sinistros, bem como na redução de gastos com manutenção e combustível.

Sua história na PESA começou, primeiramente, como preposto da locadora que atendia a empresa. Depois de um ano nesse apoio, com a saída do gestor de frotas da PESA na época, Silveira foi convidado para assumir a função. “Estava bem no período de transição para atual locadora, a Ouro Verde, e, como eu estava por dentro de tudo o que estava acontecendo, eles me chamaram para o cargo”, contou.

A experiência adquirida enquanto estava na locadora foi fundamental para quando ele passou a atuar do outro lado. “Não existia uma gestão efetiva na PESA, era apenas feito o controle de quem estava utilizando o veículo. Ninguém cobrava multa ou avaria. Só pegavam esses custos e encaminhavam para o setor responsável”, revelou. Como saiu de uma cultura onde tudo era cobrado, Silveira achou injusto a empresa continuar arcando com esses custos e começou a criar uma Política de Frota que garantisse à PESA a recuperação desses valores.

 

Gestão de Sucesso

Foi um trabalho a longo prazo. Os primeiros anos foram de organizar a casa. “É de uns 2 anos para cá que estamos conseguindo fazer uma gestão de verdade”, disse. A mudança foi impulsionada quando a empresa exigiu uma redução de custos. Silveira, então, passou a estudar e adquirir novas ferramentas para melhorar a sua gestão. Deixou o rastreamento e contratou a telemetria em todos os veículos da frota. “Eu conseguia monitorar o veículo, mas não tinha nenhum indicador. A telemetria me permitiu ter informações mais relevantes sobre minha frota”, ressaltou.

Silveira ainda foi à procura de aperfeiçoamento profissional. Formou-se na primeira turma do PGF – Programa para Gestores de Frota e se graduou como Green Belt, no curso Seis Sigma.  Os conhecimentos adquiridos e sua vontade de mudança o fizeram sair de uma gestão operacional de frota para uma gestão estratégica, com focos em resultados sustentáveis no âmbito econômico, social e ambiental.

Esses avanços foram obtidos, segundo ele, também graças às mudanças das próprias locadoras, que deixaram de só fazer a locação de veículo e passaram a realmente terceirizar a frota, prestando outros tipos de serviços agregados juntos à locação. “A minha equipe é de uma pessoa, então, devido à quantidade de demandas exigidas na gestão de uma frota, eu preciso contar com a ajuda de um fornecedor disposto não somente a me passar as informações, mas também os caminhos e ações que podem ser tomados”.

Mesmo com a ajuda da locadora, a frota ocupa 80% das suas atividades diárias dentro da PESA. Além de gerenciamento dos veículos, Silveira é responsável pela gestão de outros contratos da empresa. “Com a terceirização da frota, eu consegui reduzir meu operacional  e tornar a minha gestão mais eficaz. Hoje, a Ouro Verde me traz as informações em um sistema integrado, então meu controle é muito mais fácil”, destacou.

 

Cenário da Gestão de Frotas

Ele descreve o cenário da gestão de frotas como muito complexo e de uma atuação muito difícil. “Lidamos com vidas e com a imagem da empresa, então é primordial ter uma gestão eficiente. Temos que sempre agir pensando na redução de custos e em políticas de segurança”, afirmou. A questão da cultura é outro grande desafio. “A tecnologia facilitou muito a vida do gestor de frota, principalmente, por propiciar a troca de informações. Antigamente, não tinha onde buscar tanta informação. Acabávamos buscando a metodologia de um outro departamento para aplicar na frota, o que dificilmente funcionava”.

Por ser um cenário muito complexo, o gestor tem sempre que estar se atualizando. “Se não você vai ficar para trás, sua frota vai ficar ultrapassada e isso vai acabar prejudicando a empresa”, alertou Silveira. O Instituto PARAR surgiu justamente para preencher essa lacuna na formação do gestor de frota e ajudá-lo a disseminar a cultura de segurança dentro da sua organização. “O PARAR acaba sendo uma faculdade para quem participa e é, hoje, a única fonte de informação específica para o gestor de frota”.

Para gerenciar os 250 veículos leves da PESA, Silveira ainda conta com a ajuda de outros departamentos, principalmente, o jurídico, o RH, e o de segurança do trabalho. É esse trabalho em conjunto, e que deve estar em sintonia, que permite um bom planejamento e controle da frota e dos condutores.

 

Você é um gestor de frota? Como você administra sua gestão? Conta pra gente nos comentários. 

 

Por: Karina Constancio, Coordenadora de Conteúdo da WTM, para PARAR Review. 

Comentários

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *