Blog

Eco, Tech & Safe: A Tríade das Frotas

Blog

Eco, Tech & Safe: A Tríade das Frotas

28 de Janeiro de 2021

Gestores de frotas mostram como é possível automatizar processos, salvando vidas sem deixar de preservar o meio-ambiente

Segurança, sustentabilidade e tecnologia. Estes são os três pilares para uma gestão de excelência, de olho no futuro e preocupada com os seus impactos, sejam ambientais ou humanos. Traçar uma estratégia que leve em consideração essa tríade é tarefa dos profissionais de frotas, que tem como sua principal missão reduzir custos, mas sem deixar de inovar e otimizar a operação.   

 

 

Segurança 

O trânsito brasileiro é violento! No período compreendido entre janeiro a março de 2020, foram registrados no Relatório Estatístico da Seguradora Líder - Dpvat, 89.029 acidentes de trânsito, sendo que 9.298 destes eventos tiveram vítimas fatais. 

Estes números mostram a importância de tornar a segurança um valor para a frota, como faz a Diversey Brasil. Segundo Marton Kiss, gestor de frotas da empresa, “proteger a vida dos nossos funcionários e de toda a comunidade é nossa missão”. Para isso, Kiss tem como apoio uma política de frotas muito bem elaborada, que esclarece toda a conduta do condutor, deste paradas obrigatórias em viagens até o limite de deslocamento urbano e rodoviário de cada colaborador. Outra norma é a obrigatoriedade da realização de um treinamento de direção defensiva no momento da admissão do profissional. 

“Proteger a vida dos nossos funcionários e de toda a comunidade é nossa missão”

Marton Kiss (Diversey Brasil)

Além disso, a frota da Diversey Brasil é composta por veículos que tenham 4 ou 5 estrelas nos testes de auditoria realizados pela Latin N’CAP (saiba mais na página 46). Para o gestor de frotas da empresa, essa prática “demonstra aos colaboradores a preocupação com a segurança de todos! Como “brinde”, a empresa ainda valoriza sua marca demonstrando responsabilidade social com a segurança de seus funcionários e de toda a comunidade”. 

Outra oportunidade que a segurança oferece para as frotas é a redução dos custos. Ao seguir o Código Nacional de Trânsito e praticando uma direção defensiva, os condutores possibilitaram para a frota uma redução de 67% nas infrações de trânsito, diminuindo os custos com multas e manutenção dos veículos.   

 

 

TECNOLOGIA 

Também foi pensando na segurança de seus condutores e na otimização da operação que Nicola Perim, gestor de logística da OBA Logística, resolveu implantar novas tecnologias para a frota de ambulâncias. Uma das queixas do gestor era em relação ao tempo gasto na análise de relatórios de escalas, e também na verificação de infrações cometidas por cada condutor. 

Foi com o uso da telemetria e do reconhecimento facial que a OBA Logística automatizou seus processos e, também, encontrou oportunidades de melhoria. “Tivemos 30% de redução no custo com combustível, pois os condutores conseguem manter uma velocidade constante e evitamos com que o veículo fique parado com a ignição ligada. Isso faz com que economizemos 1 litro de combustível a cada duas horas”, conta o gestor de logística. Além disso, outro número positivo da frota diz respeito às multas, que tiveram uma redução de 70% - valor extremamente significativo para a frota. 

 

 

SUSTENTABILIDADE

Os problemas ambientais que são noticiados no Brasil e no mundo mostram que a sustentabilidade não é apenas uma tendência e sim, uma necessidade. As altas taxas de emissão de gases poluentes, entre eles, o dióxido de carbono (CO2), são providas, em sua maioria, dos combustíveis fósseis que movimentam os veículos à combustão.

Na cidade de São Paulo, por exemplo, automóveis são a principal fonte de emissão de gases poluentes - de acordo com o Relatório de Emissão Veiculares da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb). Para mudar essa realidade, algumas práticas eco-friendly passam a ser adotadas pelas empresas que possuem frotas, como é o caso da L’AUTO Cargo Transportes As. Com uma frota composta majoritariamente por veículos pesados, e com uma rodagem de 2.200.000 km por mês, a empresa fez uma parceria com o SEST SENAT para fazer o controle de emissão de seus veículos a cada 6 meses. Se após os testes feitos pelo órgão o veículo apresentar alguma anomalia, é enviado imediatamente à concessionária para reparos. Outro fator que contribuiu com a redução da emissão de CO2 foi a renovação da frota. “Desde que começamos a controlar a emissão de CO2, os números têm reduzindo mês a mês. No período de um ano, conseguimos reduzir 30% das emissões de CO2”, conta Allyson Soares Nogueira, gestor de frotas da L’AUTO. 

Outra solução para diminuir as taxas de emissão de gases poluentes são os veículos elétricos. O gerente de frotas da Coca-Cola Femsa, Caio Razzano Rossmann, conta que a empresa já pensa em formas de viabilizar uma frota elétrica mas que há ainda algumas questões complexas, como o alto custo. Ainda assim, até o momento, a Coca-Cola Femsa realizou testes com um caminhão e empilhadeiras 100% elétricas, e os resultados foram positivos. “Percebemos que além da questão ambiental, o custo baixo com manutenção e os motores silenciosos são outros pontos positivos”, afirma Rossmann. 

“Percebemos que além da questão ambiental, o custo baixo com manutenção [de veículos elétricos] e os motores silenciosos são outros pontos positivos”

Caio Rossmann (Coca-Cola Femsa)

A DB Diagnósticos do Brasil também vê nos veículos elétricos uma grande oportunidade para a sua operação. Mesmo em meio a pandemia, a empresa continuou seu projeto de moto 100% elétrica, que está em fase de testes e com expectativas para que seu primeiro protótipo rode ainda em 2020. Édison Rocha, gerente corporativo de logística e operação da DB Diagnósticos, acredita que “a inovação deve ser em tecnologia, processos e estruturas vão dar maior fluidez, informação e velocidade operacional no atendimento ao cliente”. 

Sejam frotas grandes ou pequenas, de veículos leves ou pesados, todas podem conseguir resultados positivos quando segurança, tecnologia e sustentabilidade são vistas como a solução! 

Fonte: por Mariana Lo Turco para PARAR Review